«« Voltar - «« Home
Links uteis

Prefeitura Municipal
Provincia de Milão
Região Lombardia
Camara de Comercio de Milão
Eventos shows e restaurantes
Teatro alla Scala
Pinacoteca di Brera
Ultima ceia de Leonardo






A estátua em ouro de Nossa Senhora



O Castelo Sforzesco
Milão (Milano em italiano) é um grande centro comercial, industrial e financeiro a nível europeu e uma importante cidade pelo seu patrimonio artistico. Centro econômico do país, é a segunda cidade italiana, a capital da província e da Região Lombardia, sendo também a cidade mais populosa do norte da Itália, com 1.300.000 habitantes.
É a sexta cidade no mundo e terceira na Europa na captação de capitais estrangeiros. Sede dos maiores centros financeiros, quartel general de dezenas de multinacionais, é também um importante centro universitário e de produção editorial e televisiva na Europa. Milão é cidade irmã
de Sao Paulo com a qual compartilha muitas semelhanças.
A cidade está localizada na parte ocidental da Região Lombardia, banhada por pequenos rios e canais. Situa-se no vale do rio Pó, na região chamada “Val Padana”, e estende-se por uma área de 182 km2. As auto-estradas que circundam a cidade, no lado Norte, Leste e Oeste compõem o maior sistema perimetral da Itália, com seus 74 km que passam a 95km incluindo a parte urbana da auto-estrada Turin-Veneza que corre na periferia norte.
Na direção de Milão confluem ainda ruas e auto-estradas de importância regional, nacional e internacional (França, Eslovênia, Croácia, Austria, Baviera na Alemanha e com a Suíça). Essa colocação estratégica influencia notavelmente a historia da cidade e seu papel nacional, equiparando-a aos países das alpes.
A cidade de Milão é relativamente pequena e quase totalmente urbanizada, porém a sua região metropolitana, formada pelas cidades que a circundam formam uma única área urbana com cerca 4 milhões de habitantes.
Fundada pelos Célticos, foi conquistada pelos romanos em 222 a.C.. Tinha a designação de Mediolanum e foi a capital do Império do ocidente entre 305 e 402. O Édito de Milão, de Constantino, em 313 assegurou a liberdade religiosa no império. As invasões hunas, góticas e lombardas nos séculos V e VI arruinaram a cidade.
Cidade independente no século XII e XIII, tornou-se a capital do ducado de Milão em 1395 sob domínio da família Sforza. Passou para domínio espanhol em 1540 e austríaco em 1713. Napoleão tornou-a capital da República Cisalpina em 1797 e do Reino de Itália de 1805 a 1814. Voltou ao domínio austríaco de 1815 a 1859 e como consequência da Segunda Guerra da Independência fez parte do Reino da Sardenha e da Unidade do 1861 do Reino Unido da Itália.
Foi uma das cidades italianas que mais sofreram na Segunda Guerra Mundial, sendo alvo de gigantesca reconstrução.


A imponente Catedral gótica - Duomo





O Teatro alla Scala - templo da ópera lírica





Parque Sempione com o  Arco da Paz ao fundo
A partir do final de 1800 a 1970 foi uma cidade essencialmente industrial, mas posteriormente o setor terciário prevaleceu através de suas áreas tradicionais e em outras novas, como por exemplo: finanças, comércios nacionais e internacionais, management de empresas, editoria, design, publicidade, informática e nas atividades universitárias.
Nos anos 80 tornou-se famosa como “Cidade da Moda” e junto com Paris e Nova York é uma das capitais da moda. Na “Via Montenapoleone” têm sua sede Giorgio Armani, Dolce & Gabbana, Gianfranco Ferrè, Prada, Versace.
Atualmente é considerada a capital econômica da Itália, com sua Bolsa de valores. A maioria das empresas italianas e estrangeiras tem sua sede financeira em Milão. Entre as italianas mais conhecidas no mundo estão: Alfa Romeo, Bugatti, Campari, Mediaset, Mondadori, Motta, Pirelli, Telecom.
Hoje a cidade esta vivendo uma reestruturação profunda na sua arquitetura urbana com numerosos projetos de famosos arquitetos como Renzo Piano, Massimiliano Fuksas, Daniel Libeskind, Zaha Hadid e Ming Pei, para requalificar grandes áreas e bairros degradados e modernizar sua imagem na Europa e no mundo. Os principais projetos são a Nova Feira de Milão, o Teatro alla Scala, Montecity Rogoredo, City Life (com três arranha-céus); os dois últimos projetos redesenharam o “skyline” de Milão que não será mais dominado da “silhouette” do Duomo e dos arranha-céus da Pirelli e da Torre Velasca mas composto destas novas e imponentes construções.
Os aeroportos de Milão são três: Linate, muito perto do centro da cidade e recebe o trafego aéreo nacional e vôos low-cost europeus; Malpensa, a 50 minutos do centro com o trem Malpensa-Express, aeroporto intercontinental mais importante junto com o de Roma Fiumicino; Orio al Serio, a 50 km da Milão perto de Bergamo, aeroporto internacional, é usado para os voos low-cost e charter. Nos três juntos transitam 34 milhões de viajantes.

Torre Velasca - arranha-ceu de 1958

A Igreja de São Cristovão do século XIII


Navigli - canais fluviais e locais de divertimentos noturnos


O historico lugar das pedras das Lavadeiras
A utilização de trens é muito difundida na Itália e Milão tem também a maior rede ferroviária e de estações da região norte. Para os milhões de trabalhadores que viajam todos os dias de suas cidades de origem para Milão, a cidade organizou uma eficiente rede municipal de transporte distribuída em três grandes linhas de metrô subterrâneo, além de ônibus e outros trens onde se pode viajar com um bilhete único.
Milão é uma cidade rica também em historia representada através de importantes monumentos, arquitetura e arte em geral. As igrejas mais importante são o Duomo, San Cristoforo, Santa Maria delle Grazie com o afresco da “Ultima Ceia” de Leonardo da Vinci. A arquitetura do Castelo Sforzesco, da Galeria "Vittorio Emanuele II", do Teatro alla Scala, do Cemitério Monumentale, dos arranhas-céus Pirelli (hoje sede administrativa da Região Lombardia) e Torre Velasca entre outros atrativos.
Os lugares de interesse artístico e cultural de grande relevância compreendem a Pinacoteca de Brera, a Biblioteca Ambrosiana, o Museo Poldi e Pezzoli, o Museu de Arte Contemporânea, a Galeria de Arte Moderna, a Triennale, o Museu da Ciência e da Tecnologia “Leonardo da Vinci”, o Palazzo Reale, o Museu Archeologico, o Museu da Historia Contemporânea e o Museu do Renascimento.

Milão é sede de cinco Universidades Publicas: Politecnico, Universidade Estadual, Academia das Artes de Brera, Conservatório de Musica Giuseppe Verdi e Universidade degli Studi. As Universidades privadas são a Universidade Católica, a Universidade Comercial Bocconi, a Universidade IULM, a Universidade San Raffaele.
Entre os 22 teatros de Milão os mais importantes são: Teatro alla Scala, Teatro degli Arcimboldi, Piccolo Teatro, Teatro Lirico, Teatro Manzoni, Filodrammatici e o Auditorium.
Milão tem os melhores restaurantes da Itália, como relevam as guias gastronômicas, e os preços são semelhantes aos praticados pelo Norte da Europa. No seu Mercado Geral transitam os pescados de toda a nação e depois redistribuídos em toda Itália.
Os locais noturnos e restaurantes se concentram mais no centro histórico, no bairro de Brera, onde esta localizada a Academia das Artes, e nos Navigli, que são os canais da cidade, onde novos locais da moda estão abrindo e propondo a cozinha étnica de muitos países como a brasileira, a japonesa, a argentina, da africa central e do sul-este asiático, alem da cozinha chinesa presente no local a mais de 60 anos.
No centro e em Brera os locais e restaurantes são sofisticados, chique e elegantes, enquanto nos Navigli são mais “rusticos”, de estilo antigo, com cozinha milanesa e “enotecas” onde se podem encontrar diferentes tipos de salames e outros embutidos, acompanhados por um bom vinho, alem de inúmeras pizzarias e cervejarias. Muitos desses locais propõem musica ou vivo e entretenimentos com musica jazz.
Milão é uma bela cidade e uma referencia cultural para o mundo, é impossível permanecer indiferente às suas grandes possibilidades e atrativos. Milão é uma "cidade viva" durante todas as 24 horas, não dorme nunca.
 
Associação Cultural Itália-Porto Alegre Onlus | Registro Civil de Pessoas Juridicas n.3148 12-03-2009 | Todos os direitos reservados